no ,

Entenda a diferença entre empréstimo Pessoal, MEI e Empresarial

Entender a diferença entre empréstimo Pessoal, MEI e Empresarial é essencial para poder obter as maiores vantagens e benefícios. Saiba qual é a melhor opção.

empréstimo Pessoal, MEI e Empresarial
Imagem: wayhomestudio / br.freepik.com

Recebe a denominação de Microempreendedor Individual (MEI), indivíduos autônomos que atuam em alguma das 400 categorias de trabalho elencadas pela Lei nº 128. Esta é considerada como a principal forma de entrada para o sucesso empresarial, além de facilitar o processo de consolidação de seu negócio no mercado.

Dentre as principais vantagens oferecidas pelo título de MEI, está a possibilidade de realizar um empréstimo, através do CNPJ da empresa. Essa modalidade torna-se mais vantajosa por tornar possível para estes empreendedores conquistar financiamentos com taxas e juros inferiores ao empréstimo pessoal, além de diversos outros benefícios, como:

  • Serviços bancários que podem ser adquiridos sob o nome da empresa;
  • Emissão de nota fiscal;
  • Possibilidade de venda para o Governo;
  • Alvará de funcionamento e CNPJ gratuitos;
  • Benefícios previdenciários para o proprietário e dependentes.

Além de todas as vantagens elencadas acima, também é possível para o cliente obter melhores condições para a realização de empréstimos.

Como posso me formalizar MEI?

Para ser possível se formalizar como Microempreendedor Individual é necessário, primeiramente, atender a alguns pré-requisitos, como:

  • Possuir no máximo um funcionário;
  • Não estar registrado como proprietário, sócio ou administrador de nenhuma outra empresa;
  • Exercer uma das mais de 400 formas de trabalho previstas na lei que regulamenta esses trabalhadores.

A inscrição é simples e pode ser feita pela internet, através do site do Governo Federal.

Empréstimo para MEI

Ao se formalizar como Microempreendedor Individual, o profissional abre uma gama de oportunidades, que visam facilitar e acelerar o crescimento de sua empresa, tornando-a mais competitiva e presente no mercado.

Mesmo que você já esteja devidamente formalizado, no momento da solicitação de empréstimo, o banco irá fazer a análise de crédito de sua empresa, solicitando documentos, como: histórico de movimentação financeira e um demonstrativo contendo o seu controle de vendas.

Apenas após todo esse processo, será definida a data final de pagamento do empréstimo e a taxa de juros empregada. Desta forma, quanto mais alta a renda fixa comprovada pelo solicitante, mais vantajoso será o empréstimo, pois o aumento da confiança do banco em relação ao seu perfil é proporcional à queda da taxa de juros imposta.

Em que difere o MEI dos empréstimos Pessoal e Empresarial?

Quando comparado com os valores oferecidos no empréstimo pessoal, o valor ofertado ao MEI é maior e com prazos para pagamento mais longos. Entretanto, o microempreendedor deverá estar atento de que no ato da análise de crédito da empresa, seu CPF também será consultado nos Serviços de Proteção ao Crédito (SPC) e caso conste pendências a possibilidade de obter o empréstimo cai dramaticamente.

Em alguns casos, principalmente nos que envolvem crédito consignado, uma pessoa física poderá obter juros mais baixos do que os oferecidos através do CNPJ. Por isso, esteja sempre atento ao mercado e realize o máximo de simulações possíveis, a fim de encontrar o plano mais vantajoso para você.

Quando comparado com as empresas de médio e grande porte, o MEI possui um limite de crédito bem inferior ao, geralmente, concedido às de maior tamanho. Entretanto, há um fator que, de certa forma, compensa essa realidade: é bem comum que os microempreendedores conquistem taxas de juros bem menos do que as conferidas às grandes organizações.

Quais são os riscos envolvidos na solicitação de empréstimos por um MEI?

Muitos clientes compactuam com ideias equivocadas de que após realizar a formalização de seu CNPJ, já é para correr para o banco e solicitar um empréstimo. Todavia, o SEBRAE, Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas, alerta a todos os novos microempreendedores de que o caminho não é bem esse e que se faz necessário levar em consideração diversos fatores antes de recorrer a um empréstimo.

Seja por inexperiência ou falta de um efetivo planejamento financeiro, muitos MEI realizam endividamentos extremamente perigosos, principalmente através de empréstimos, sem que haja uma real necessidade. Em outras palavras, ao realizar empréstimos para suprir furos no caixa da empresa, você poderá estar dando o primeiro empurrão, para uma bola de neve, capaz de levar seu empreendimento à falência em poucos meses.

Desta forma, antes de solicitar um empréstimo procure organizar seu planejamento financeiro, se necessário busque ajuda profissional, evitando sempre adquirir dívidas além das de extrema necessidade. Caso não tenha outra opção, além do empréstimo, já elabore um plano de gastos para o dinheiro, evitando que ele seja aplicado de maneira errada.

Uma das causas mais frequentes do endividamento dos MEI após obter um empréstimo é a falsa sensação de equilíbrio financeiro que o dinheiro pode proporcionar inicialmente, onde muitos liquidam toda a quantia sem nem se dar conta.

É recomendável solicitar um empréstimo sendo MEI?

Caso você realmente necessite de um empréstimo, é preferível que o adquira através do crédito para Microempreendedores Individuais, pois são os que oferecem taxas de juros mais vantajosas. Ademais, recomenda-se que o dinheiro seja empregado na aquisição de matéria prima, equipamentos, reformas ou ampliação dos serviços, pois desta forma será possível ampliar sua renda e facilitar a quitação dessa dívida.

Quais bancos realizam empréstimos para MEI?

Os microempreendedores passaram a ser reconhecidos como MEI há poucos anos, mas diversas instituições bancárias já ofertam serviços destinados a esse público, que vinha crescendo vertiginosamente e teve uma rápida expansão durante a pandemia da Covid-19, são eles:

Como solicitar um empréstimo para MEI?

Para contratar um empréstimo para MEI de maneira segura e prática, basta seguir os seguintes passos:

  1. Realize simulações de crédito como MEI no maior número de instituições possíveis, visando encontrar a opção mais vantajosa. Recomenda-se buscar também analisar propostas de crédito pessoal, que em alguns casos tornam-se mais benéficos;
  2. Leia atentamente no seu contrato de adesão quais são os documentos solicitados, geralmente eles são: RG, CPF, CNPJ da empresa, certificado de Microempreendedor Individual e comprovante de renda (este comprovante de renda será a forma utilizada pelo banco para analisar seu perfil e estabelecer se possui condições financeiras para realizar os pagamentos sempre nas datas estipuladas);
  3. Por fim, você deverá explicar ao banco as causas que o levaram a solicitar um empréstimo. Além de ser necessário, em diversas agências, apresentar um plano de aplicação para o dinheiro, detalhado.
Empréstimo para pessoa jurídica

Empréstimo para pessoa jurídica: tudo que você precisa saber

Fundos DI

Fundos DI: entenda como funcionam e se são a melhor opção para os seus objetivos financeiros